Resenhas

Resenha: “Viva, A Vida é uma Festa”, Adrian Molina; Lee Unkrich e Jason Katz

Oi oi beletristas, como vocês estão? Esse clima de frio é ótimo para ler um bom livro acompanhado por um chocolate bem quente, não? Pois bem, trago-lhes a resenha de um livro cuja leitura é bem leve, rápida e suave nesse momento caótico de pandemia: “Viva, A Vida é uma Festa”.

Eu ganhei esse livro de presente da minha irmã quando saímos pela última vez antes de entrarmos em quarentena. Estávamos no shopping e, apesar de não haver livrarias na cidade onde moro, abriu uma lojinha pequena recentemente no shopping onde vende alguns livros na faixa de dez reais. Lá não tem muitas opções, mas assim que eu vi esse, me encantei. E então ela, me vendo com vontade de lê-lo, me presenteou! Fofinha demais ♥

 Viva – A Vida é Uma Festa | Vários autores | Editora Pixel | edição de 2018 | 56 páginas | Nota: 7.9/10

O livro é baseado no filme de mesmo nome (ainda não vi pois, mesmo que ele tenha sido escrito após o filme, eu prefiro sempre ler o livro antes), em que conta a história de um menino de 12 anos chamado Miguel que sonha em ser um músico famoso como seu ídolo, Ernesto de la Cruz. No entanto, precisa enfrentar sua família que desaprova seu sonho e constantamente desmotiva o garoto. Deerminado a provar seu talento, Miguel acaba desencadeando uma série de eventos ligados a um mistério de 100 anos e indo parar no impressionante e colorido Mundo dos Mortos. Durante sua jornada, conhece Hector, e juntos partem em uma aventura extraordinária.

A história se passa no México e um ponto interessante dela é o uso de várias expressões típicas da língua, como Mamá e Papá, por exemplo. Além do fato muito interessante de o leitor poder entrar em contato com essa data comemorativa e com a diferença cultural entre a nossa e a mexicana, já que aqui no Brasil o dia dos mortos (finados) é um dia triste, enquanto no México é comemorado como um dia de festa. Os personagens são inserios e, como Miguel vai parar no Mundo dos Mortos, alguns personagens já falecidos aparecem, como Frida Kahlo, por exemplo. Fiquei impressionada com isso!

A história é muito linda e vale muito adentrá-la nesse momento de quarentena que estamos passando, em que até mesmo o ritmo de leitura está comprometido. Além da saúde mental, claro, que não tem estado nada boa para ninguém. Por isso devemos nos entreter com leituras mais leves! Fica a dica, então, de um livro curto que além de trazer belas mensagens de dedicação, busca aos sonhos, valores familiares, amor, perdão, nos ensina um pouco mais sobre a cultura mexicana. E aí, bora ler?

Se ficou com vontade de ler após minha indicação, compre comigo no link abaixo ♥

Sobre a autora

Caminho entre letras e sonhos: sou uma eterna apaixonada pelas viagens que as páginas amareladas de um livro pode me levar. Cada página virada é uma nova aventura; em êxtase entro só de pensar. Amo tudo o que me faz expandir esse universo que eu sou; amo olhar minha estante pensando na próxima aventura em que embarcar eu vou. Entrando em sintonia comigo mesma, sou uma louca alucinada pelas belas letras.

Gostou desse post? Deixe sua opinião nos comentários! ♥

%d blogueiros gostam disto: